O livro das Mulheres, Osho

O livro das Mulheres, Osho

Fala mansa, fácil de entender.
Vai aí um trechinho de Osho, em meados dos anos 80 ♥️

“Não há nada de anormal em não se ter filhos, é direito e escolha da mulher não tê-los.

Se ela quiser colocar a sua criatividade na pintura, na arte, na música, tudo bem, é muito melhor do que gerar um filho que está sujeito a ser uma obrigação.

Foi dito pela sociedade repetidas vezes que é dever natural da mulher gerar crianças, foi assim que os homens conseguiram manter a mulher na escravidão, pois se a mulher gera crianças de forma continua, quando vai sobrar tempo para ela?
Gerar filhos assim pode ser destrutivo, (…esta obrigação) deixa-a desnutrida e torturada.

Agora suas energias podem ser liberadas, ela também pode se tornar um Buda, um Zaratustra, um Jesus, um Krishna, muito embora eu acredite que a mulher nem se preocupa em ser um Buda.
Agora ela também pode criar como Mozart, Wagner, Leonardo da Vinci, Michelangelo.
Agora ela pode sim ter filhos e ser capaz de criar Budas superiores, porque elas têm uma força muito mais criativa do que o homem, que não está limitada em dar à luz.

Dar a luz é divino (…mas) a sua criatividade é ilimitada, e o sexo reprodutivo não é mais uma obrigação.”

Osho, o Livro das Mulheres

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.